03 maio, 2008

Perdão

“Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros.” (Col 3.13b)

A gente perdoa porque foi perdoado, não porque o outro possa explicar o que fez, ou mereça perdão. O perdão é dado justamente porque o outro errou vergonhosamente e não há como explicar o que ele fez: a não ser pela maldade que há no coração humano. A questão é que todos os seres humanos são assim. Por isso Deus, para nos perdoar, sem incorrer em injustiça, sacrificou-se por nós em Cristo Jesus. E como fomos perdoados temos de perdoar. Essa é a lógica da fé cristã.

É perdão e não desculpa. Desculpa-se alguém quando a pessoa que errou tem razões para ter feito o que fez, ainda que o feito tenha atingido, de alguma forma, alguém. O perdão, por outro lado, é dado para alguém que não tem outro motivo para fazer o que fez, a não ser por ter se inclinado, em algum momento e de alguma forma, para o mal.

O perdão é sempre sacrificial! Como o perdão de Deus que custou o sacrifício de Cristo. Quem perdoa arca com o custo do perdão. Seja o custo econômico: quem perdoa fica com o prejuízo. Seja o custo emocional: quem perdoa engole a mágoa ou qualquer forma de ressentimento. Seja o custo moral: quem perdoa assume conviver com a vergonha.

A justiça condena o pecador à morte. O perdão condena o ofendido – aquele contra quem o pecado foi cometido – ao sacrifício.

O perdão é a maior expressão do amor de Deus. Todo aquele que é nascido de Deus pratica o perdão. “Porque o amor vem de Deus. Quem ama é filho de Deus e conhece a Deus.” (1Jo 4.7). O amor de Deus é principalmente perdoador. “O amor é isto: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados.” (1Jo 4.10)

Muita gente pergunta como alguém pode ter certeza de sua salvação. O apóstolo João disse: Deus é amor. Aquele que vive no amor vive unido com Deus, e Deus vive unido com ele. Assim o amor em nós é totalmente verdadeiro para que tenhamos coragem no dia do juízo, porque a nossa vida neste mundo é como a vida de Cristo. (1Jo 4.16b,17).

Jesus Cristo viveu perdoando e para perdoar, quem está unido com Cristo vive assim também, perdoando os que pecaram contra si. Quem vive assim não precisa ter medo do dia do juízo, porque sua vida demonstrou a sua salvação.

Jesus viveu e morreu para perdoar, e espera que os seus seguidores vivam perdoando e perdoem para viver. Só se vive realmente bem com os demais seres humanos quando, no coração a gente só dá lugar ao perdão.

“Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros.” (Col 3.13b)

Ariovaldo Ramos

2 comentários:

Mulher, mãe, menininha... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mulher, mãe, menininha... disse...

É sempre difícil perdoar, pois quem nos magoa/ofende são as pessoas que mais nos são caras e estimadas.
Mas o perdão é dado e não pedido... a vida me ensinou isso!
A minha dificuldade sempre foi em arcar com o prejuízo moral (aquele diante de todos que conviveram com a situação.) Mas o tempo de Deus é providencial , pois quando existir realmente arrependimento, existirá uma mudança verdadeira.
Um abraço e obrigada pelo estudo.