05 março, 2008

Questionamento

Eu me pergunto: por que os palestinos que se explodem como bombas vivas são considerados terroristas e Sharon e Bush não são? Os palestinos matam de forma heróica. Sharon e Bush de forma acovardada: que sejam outras as pessoas a morrer; não eles. Todos fazem uso da violência para atingir seus objetivos políticos. Todos matam inocentes. Vejam o que Bush fez naquele país paupérrimo, o Afeganistão. E vejam o que Sharon está fazendo com os Palestinos. Fico a pensar: o que é que liga Sharon à tradição profética dos hebreus? Os profetas sonhavam com o dia em que as espadas e lanças seriam transformadas em arados e podadeiras. Os sonhos de Sharon são outros: o que ele deseja é que os arados e podadeiras sejam transformados em tanques de guerra e mísseis. Como ele não tem nenhuma ligação espiritual com os textos sagrados do judaísmo, imagino que aquilo que ainda o liga à tradição de Israel seja o pênis circuncidado... A única diferença entre Bush, Sharon e os corpos-bomba (não mais se pode falar em homem-bomba porque algumas mulheres também se transformaram em bombas) dos palestinos está em que Bush e Sharon matam inocentes em nome de um estado, enquanto os palestinos matam sem ter um estado, em nome do sonho de recuperar as terras roubadas. O Estado justifica a violência. Violência do Estado não é chamada terrorismo. É direito de defesa.

Rubem Alves

Nenhum comentário: